Escotismo em Torres Vedras

Ajudamos a dar mais vida ao centro histórico da cidade!

Ficha de Cargo de Guia e Subguia de Patrulha

 

Texto adaptado de Manual do Curso Regional de Guias 2004 - AEP Região de Lisboa



Roland E. Philipps no seu livro O Sistema de Patrulhas disse: "o guia não deve ser, nem ama seca, nem tenente berrão, nem domador de feras, mas apenas um irmão mais velho que se segue porque se ama".

Não esquecer ainda a velha máxima do Chefe Pedro Sobreiro do 129: “O Guia não manda, o Guia orienta!”.



Principais características que um guia de patrulha deve ter:

  • Líder - um exemplo a seguir;
  • Companheiro - um amigo, dá ajuda e conselhos, compreensivo;
  • Comunicativo - diz as suas ideias;
  • Leal - de confiança, preocupa-se muito com o que faz;
  • Democrático - respeita todas as opiniões da mesma maneira;
  • Humilde - não mostra a toda a gente as capacidades que tem e dá valor às dos outros;
  • Trabalhador - aplica-se nas suas tarefas;
  • Responsável - faz sempre as suas tarefas;
  • Assíduo e pontual - chega a horas e não falta;
  • Participativo - ajuda em tudo o que é preciso, está sempre pronto.

 

As funções do Guia:

  • Prepara as reuniões de patrulha;
  • Diz aos dirigentes a opinião da patrulha;
  • Diz à patrulha a opinião dos dirigentes;
  • Ajuda e ensina os elementos nas provas de etapa de progresso pessoal;
  • Ajuda a resolver problemas na patrulha;
  • Escreve os problemas e coisas que a patrulha precise, e leva para o Conselho de Guias;
  • Está no Conselho de guias e transmite a opinião da patrulha;
  • Leva o totem da patrulha;
  • Fala em nome da patrulha sempre que necessário;
  • Alimenta o "bom" espírito de patrulha.

 

As funções do Subguia:

  • Ajuda o guia nas tarefas de organização da patrulha;
  • Substitui o guia quando ele falta;
  • Participa nos conselhos de guias;
  • Ajuda e ensina os elementos nas provas de etapa de progresso pessoal.

A eleição do Guia e Subguia:

  • Eleição - conselho de patrulha sob orientação da Chefia de Tribo
  • Demissão - conselho de guias e conselho de patrulha.

 

A eleição do Subguia:

Eleição - escolhido pelo guia e aprovado pela patrulha
Demissão - conselho de guias e conselho de patrulha

É importante não esquecer que todos os cargos são muito importantes para a Patrulha estar bem. Não há nenhum melhor do que o outro.

 

Na Patrulha o guia deve preocupar-se em dar-se bem:

Com os elementos da patrulha;
Com os dirigentes e com os pais.

Com os elementos da patrulha o guia pode:

  • Combinar lanches em casa dos elementos;
  • Conhecer as casas e as famílias;
  • Ter momentos divertidos: ir ao cinema, lanchar, etc;
  • Escrever informações sobre cada um.

Com os dirigentes o guia pode:

  • Combinar encontrar-se com o dirigente para desabafar / pedir ajuda;
  • Falar sobre todas as coisas, mesmo as que não concorda;
  • Organizar actividades com a Patrulha para conhecer a família;
  • Combinar com os elementos para conhecer a família de propósito.

 

O guia não é, nem deve ser:

  • O sabichão, saber tudo ou ter a mania que sabe;
  • O mandão, mandar em todos ou ser mandado;
  • O mauzão, zangar-se quando as coisas estão mal;
  • O patrão, delegar tarefas e não fazer nada;
  • A carne para canhão, assumir sozinho as responsabilidades de uma situação de patrulha.


Livros que podes consultar sobre este tema:

Escotismo Para Rapazes; Baden Powell, AEP
Na Senda do Escotismo, AEP
O Conselho de Guias; Jonh Thurman, CNE
O Sistema de Patrulhas; Roland Philipps, CNE
Pistas para o Guia de Patrulha, J. Marques da Silva, CNE

 

 

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault

Escotismo com tradição!

Os escoteiros estão em Torres Vedras desde 1914 e o 129 foi oficialmente reaberto em 1999.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site.
Ok