Escotismo em Torres Vedras

Ajudamos a dar mais vida ao centro histórico da cidade!

Acampamentos


A escolha do terreno é importante quando se vai acampar. Deve ser o mais duro possível, num plano elevado e ligeiramente inclinado, para que a água da chuva não fique estancada.

 

É preferível fugir das zonas com muita vegetação pois os ramos podem cair-lhe em cima se houver vendavais e de perto de rios ou lagos, pois se chover em abundância pode haver cheias. Antes de montar a tenda é conveniente limpar o terreno, pois uma pequena pedra ou galho pode rasgar o chão impermeável.

Especialmente em tempo frio é importante reforçar o isolamento do tapete do chão, espalhando pela terra uma camada espessa de folhas ou ervas secas; os fetos dão um resultado perfeito, assim como a urze ou ramas de pinheiro.

O vento também pode estragar a estrutura da tenda, por isso é conveniente protegê-la do impacto direto do vento, utilizando algum tipo de vegetação, muro de neve, pedras ou um para-vento, inclusivamente podem usar-se reforços cruzados sobre o duplo teto e por baixo dele. Se o vento incidir sobre um ângulo de 45º, reduz consideravelmente a sua força.

Se a tenda for montada nas horas de maior calor, não é aconselhável esticar demasiado as espias, pois a humidade noturna produz uma força da tensão, que se for excessiva, corre-se o risco de esforçar demasiado as costuras, pano ou mesmo fazer com que as estacas se soltem. Certifiquemo-nos de que o tecido fica completamente esticado e que não há rugas. A resistência ao vento e a impermeabilidade dependem da correta tensão do tecido.

As estacas da tenda devem geralmente ser colocadas num ângulo de 45º em relação ao solo. O comprimento das estacas depende de tipo de solo onde se vão cravar. Os solos de terra mole e com muita vegetação, requerem estacas compridas. Para solos de areia ou de nevadas, a colocação deve-se fazer de forma especial para que a superfície que as suporta, seja a maior possível.

Um bom método consiste em fazer uma cruz de madeira com 2 paus de 30 centímetros de comprimento cada; atam-se um ao outro e enterram-se num buraco de outros 30 centímetros de comprimento, exceto a parte superior da corda que deve ficar de for a para se poder atar aos elásticos da tenda. É claro que podemos sempre reforçar as espias ou a fixação com a ajuda de pedras, de um aterro de areia ou neve, atando as espias a árvores, arbustos, etc.

Outra solução para fixar melhor a tenda é pôs outra estaca em frente da que já está cravada, de forma a que a força fique repartida pelas duas, aumentando a estabilidade da tenda.

As espias devem manter-se sempre esticadas, independentemente das condições atmosféricas (vento, chuva) pois caso contrário a tenda começa a deformar-se.

Uma vez montada a tenda e sobretudo se o tempo se apresentar chuvoso, é conveniente fazer um rego a toda a volta da tenda para que a água vá escorrendo. A profundidade adequada para o rego deve ser de 10 centímetros para chuvas moderadas e de 20 centímetros para chuvas torrenciais. Fazê-lo sempre por baixo da beira do duplo teto, por onde a água irá escorrer.

Os Sacos-Cama são quentes porque o seu acolchoado guarda ar que é aquecido pelo próprio corpo e conserva a temperatura graças ao efeito isolante do material. Para tirar o melhor partido de um saco-cama há que o desdobrar antes de nos deitarmos, para que ele ganhe a sua forma e se encha de ar, para depois ao entrarmos nele, o aquecermos ao transmitir-lhe o calor do nosso corpo. Uma boa maneira de procedermos é metermo-nos lá dentro vestidos, despindo-nos uns momentos depois, quando o saco-cama já estiver quente; mas tirar a roupa para dormir não significa que a tiremos para fora do saco-cama, podemos conservá-la arrumada no fundo, onde a encontraremos quentinha na manhã do dia seguinte.

O vertiginoso aumento da utilização dos espaços verdes, mais ou menos isolados pelo homem, como alternativa ao desempenho de exercício físico, exploração ou simplesmente para descanso do stress citadino, obriga ao estabelecimento de uma série de normas de conduta pessoal a que devemos obedecer, para melhor conservarmos as suas características iniciais sem prejuízo da própria natureza.

Obter a devida autorização de utilização.
Respeitar as normas locais.
Acampar em locais onde já se tenha acampado.
Utilizar caixotes do lixo.
Não alterar o estado do solo, água e vegetação.
Evitar cortar plantas, mover rochas, etc.
Evitar acender fogo sem ter em conta as medidas de proteção adequadas.
Circular de preferência a pé (sem a utilização de veículos)
Não acampar perto de ninhos.
Reduzir o emprego de sabões e detergentes.

 

E no fim:

 

Deixar o local melhor do que o encontraste.
Agradecer a autorização de utilização.
 

 

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault

Escotismo com tradição!

Os escoteiros estão em Torres Vedras desde 1914 e o 129 foi oficialmente reaberto em 1999.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site.
Ok