Escotismo em Torres Vedras

Ajudamos a dar mais vida ao centro histórico da cidade!

Mística e Símbolos

 

 

A Mística do Clã é o Caminho, simbolizando as opções que tu terás de fazer durante a tua vida.

 

Mística

A Mística do Clã é o Caminho e simboliza a descoberta pelos Caminheiros do seu próprio caminho de vida, não se traduzindo essa mística num ambiente fantástico. Os Caminheiros vivem a mística do Caminho no dia a dia, através de realizações concretas e envolvimento na comunidade.


Símbolos

São símbolos do Clã o nome da Divisão, o uniforme, os distintivos, a cor vermelha, a tronca, os gritos, as canções e os cerimoniais.
A tronca (vara bifurcada) é um objeto pessoal que pode ser utilizado por todos os Caminheiros investidos. A tronca simboliza o Caminho que há que percorrer e a bifurcação representa as encruzilhadas do caminho que nos lembra que há sempre escolha a fazer.
Cada Clã pode possuir um grito de Clã, que é dado por todos os elementos da Divisão.


Cerimónias

No Clã existem essencialmente as seguintes cerimónias:

  • Cerimónia de passagem do Explorador ao Clã
  • Cerimónia de investidura de Caminheiro, a realizar no final da 1ª Etapa de Progresso
  • Cerimónias de atribuição das insígnias de progresso, no final de cada Etapa de progresso
  • Cerimónia de saída do Clã, realizada quando o Caminheiro decide fazer a sua partida por ter concluído a sua fase de vivência no Clã.

 

Saudação

A Saudação Escotista consiste em erguer o braço direito, colocando o cotovelo perto do corpo e a respetiva mão à altura do rosto. Com a respetiva mão, manter esticados os dedos indicador, médio e anelar, formando um "III". O dedo mindinho dobra sobre a palma da mão e o dedo polegar encosta ao mesmo, por cima. Os três dedos esticados simbolizam os três artigos do Compromisso de Honra e o anel formado pelo mindinho e polegar, a fraternidade Escotista e a máxima "o mais forte ajuda o mais fraco".

 

 

texto adaptado de aep.pt

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault

Escotismo com tradição!

Os escoteiros estão em Torres Vedras desde 1914 e o 129 foi oficialmente reaberto em 1999.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site.
Ok