Escotismo em Torres Vedras

Ajudamos a dar mais vida ao centro histórico da cidade!

Organização da Tribo de Escoteiros

 

Para compreenderes o funcionamento da Tribo de Escoteiros é preciso que conheças cada um dos seguintes conceitos:

 


 

As Patrulhas

A Patrulha vai ser o pequeno Grupo onde vais estar inserido/a enquanto fizeres parte da Tribo de Escoteiros. 

Todos os Escoteiros da Tribo fazem parte de uma das Patrulhas existentes na Divisão.

Cada Patrulha escolhe, no momento em que é formada, o nome do animal totem que quer, devendo preferencialmente ser de um animal existente em Portugal.

A Patrulha pode ter 4 a 8 Escoteiros/as e Aspirantes (o ideal é ter 6 elementos) todos rapazes ou raparigas, consoante seja uma Patrulha masculina ou feminina. No Grupo 129 de Torres Vedras, as Patrulhas assumem carácter misto sempre que não haja elementos suficientes para formar uma patrulha de elementos do sexo feminino ou masculino.

A Patrulha toma as suas decisões em Conselho de Patrulha, onde cada membro tem direito a um voto.

Como a Patrulha é responsável pelo seu próprio funcionamento, atribui-se a cada elemento um cargo, assim todos contribuem para o seu bom funcionamento. Em todas as Patrulhas existe um Guia, um Sub-Guia, um Tesoureiro e um Secretário. Para além destes cargos obrigatórios existem ainda os de Guarda-Material, Arquivista, Socorrista, Repórter e Animador. Se a tua Patrulha só tiver 4 elementos, e se acharem necessário, podem distribuir funções dos cargos não obrigatórios entre todos.

O Guia de Patrulha é o responsável pela Patrulha e é eleito e nomeado em Conselho de Patrulha pelos seus elementos. O Guia de Patrulha é ajudado pelo Sub-Guia, que também é eleito pela Patrulha. Os restantes cargos são escolhidos dentro da Patrulha por eleição ou comum acordo.

Sempre que possível, cada Patrulha tem o seu próprio espaço na Sede - o Canto de Patrulha - pelo qual é responsável e que pode organizar e enfeitar da forma que entender, dentro das regras definidas pela Chefia de Divisão, em Conselho de Guias.


 

Conselho de Guias

O Conselho de Guias é o órgão de gestão da Divisão, onde se decidem assuntos da Tribo de Escoteiros. Neste têm assento os Guias e Sub-Guias das Patrulhas e a Chefia da Divisão. Aqui discutem-se os problemas da Tribo e das Patrulhas, organizam-se sessões especiais de formação, decide-se sobre questões disciplinares, analisa-se o progresso dos membros da Tribo e avaliam-se as atividades, a implementação do programa e o grau de realização dos objetivos.


 

Conselho de Tribo

O Conselho de Tribo é o órgão de decisão da divisão. Aqui devem estar presentes todos os elementos da Tribo e é o local onde se discutem todos os assuntos relacionados com a mesma, decisões sobre atividades, objetivos e metas a atingir. A votação é feita individualmente e a Chefia de divisão está presente.


 

Atividades de Patrulha

São as atividades que se realizam apenas com os elementos da Patrulha e que satisfazem os seus interesses.

As Patrulhas também fazem Atividades de Patrulha, sendo responsáveis pela sua preparação, que segue genericamente, os seguintes passos:

  1. Idealizar: Cada membro da Patrulha apresenta as suas ideias.
  2. Eleger: Em Reunião de Patrulha é escolhida a Atividade.
  3. Preparar: A preparação da atividade é da responsabilidade da Patrulha, normalmente sob coordenação do Guia. Esta preparação tem de ser aprovada pelo Conselho de Guias e pela Chefia de Divisão antes da atividade se poder realizar.
  4. Realizar: Todos os membros da Patrulha participam, dividindo entre si as tarefas e responsabilidades.
  5. Avaliar: No fim da atividade (por exemplo última noite), ou na primeira reunião a seguir à atividade, em conversa entre todos deve ser identificado o que correu bem e o que correu mal e os aspetos a melhorar na próxima vez. O Guia e o Sub-Guia terão ainda de apresentar em Conselho de Guias um resumo dessa avaliação.

Em qualquer caso, são as Patrulhas que idealizam, elegem, preparam, realizam e avaliam as próprias atividades. Atividades maiores, ou que incluam passar a noite longe da Sede, normalmente implicam que a Patrulha seja acompanhada por um elemento da Chefia ou por outro adulto indicado pela Chefia.


 

Aventura

A Aventura é a grande atividade da Tribo de Escoteiros, e tem sempre um tema que foi escolhido por todos. Todas as Patrulhas trabalham e contribuem para que a Aventura seja realizada e seja magnífica, com muitos jogos e desafios interessantes.

Em cada período de férias escolares procura-se realizar uma Aventura, com a participação de todos os membros da Tribo. A Aventura é preparada ao longo de todo o trimestre e inclui várias fases:

  1. Idealizar: Nesta fase cada Patrulha concebe uma ideia da Atividade (Aventura) a propor em Conselho de Tribo de Escoteiros. É preciso não esquecer que a proposta das Patrulhas tem de incluir o tema, o tipo de atividade (se é um acampamento ou outro tipo de atividade) e o local para a atividade. Se for necessário podem pedir ajuda à Chefia de Tribo.
  2. Eleger: Considerando as ideias apresentadas por cada Patrulha para o tema, o tipo de atividade e o local, a Tribo escolhe, no Conselho de Tribo, a Aventura do trimestre, através de votação individual dos membros presentes, podendo juntar propostas de várias Patrulhas para criar uma Aventura mais apelativa para todos.
  3. Preparar: A preparação de uma Aventura é feita através das Patrulhas e gerida pelo Conselho de Guias. Cada Patrulha ficará responsável por uma tarefa ou conjunto de tarefas (tratar dos transportes, preparar listas do material necessário, organizar jogos e passeios, organizara animações e o Fogo de Conselho, etc.). O Conselho de Guias, ao longo do trimestre, verifica se tudo está a ser bem feito e coordena o trabalho das Patrulhas. As Patrulhas e o Conselho de Guias contam com o apoio e ajuda da Chefia de Divisão para fazer esse trabalho.
  4. Realizar: Todos os membros da Tribo de Escoteiros participam na Aventura, que é o culminar de todo o trabalho conjunto e o momento em que todos estão juntos para viver a grande atividade dos Escoteiros.
  5. Avaliar: A avaliação é feita num Conselho de Tribo de Escoteiros de forma individual, e também pelas Patrulhas e pelo Conselho de Guias.

 

 texto adaptado de aep.pt

 

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault

Escotismo com tradição!

Os escoteiros estão em Torres Vedras desde 1914 e o 129 foi oficialmente reaberto em 1999.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência como utilizador. Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site.
Ok